Arquivo | sustentabilidade RSS feed for this section

Pimp My Carroça

1 jun

Acontece neste final de semana a  segunda edição do Virada Sustentável. O evento, inspirado na Virada Cultural, tem como objetivo aproximar os paulistanos de temas relacionados à sustentabilidade. Nesta edição, o grande destaque é o projeto criado pelo grafiteiro Mundano,  o Pimp my Carroça. O projeto é  uma alusão aos programas de tv que tunam carros velhos, mas aqui o objetivo é mais nobre, tirar da invisibilidade personagens tão importantes na coleta seletiva de nossa cidade, dando uma repaginada em suas carroças e um trato em seus motoristas, que receberão atendimento de um clínico geral, oftamologista e sairão de lá de “tanque” cheio depois de uma bela refeição. Para o grand finale uma “Carroceata” pelo centro da cidade     chamará a atenção do mundo para a importância do trabalho dos cerca de 22000 catadores que são responsáveis pela coleta de 80% de materiais recicláveis de nossa cidade.

Em ano de RIO +20, # fica a dica que não é preciso esperar que as mudanças venham de cima. A arrecadação de verba para essa acão foi feita por meio de um site de crowdfounding, onde o valor pretendido era de R$ 38 200 e o arrecadado foi quase o dobro! As carroças serão pintadas por um time de  grandes graffiteiros  fazendo circular  arte, bom-humor e reflexão por nossa cidade cinzenta. A ação está marcada para início do dia 03/06 às 8:00 no Vale do Anhangabaú.

 

Veja o vídeo do projeto no link abaixo:

Pimp my Carroça

Anúncios

Ecodesign

22 fev

Mais interessante que o produto/embalagem em si é a idéia presente no Stanley Honey Re-use Pot, pois é uma idéia que pensa em todo o ciclo, seja do produto – conteúdo – quanto da embalagem.  As abelhas hoje estão enfrentando dificuldades de sobreviverem em função das mudanças climáticas e dos pesticidas. Por isso a agência criativa The Partnes criou esta embalagem reutilizável que, uma vez consumido o produto, transforma-se em um vaso para plantar flores e assim dar continuidade ao ciclo.

Exemplo que vem da Alemanha

10 ago

Hamburgo foi eleita a capital verde européia de 2011. O condado, situado no norte da Alemanha, tem cheiro de mato! Com 240 mil árvores e muitos parques, é difícil dizer ao certo onde termina a cidade e onde começa o campo, suas ruas são limpas e a coleta seletiva é levada a sério, o transporte público é totalmente eficiente; existe um ponto de ônibus a cada 300 metros de qualquer habitante. A cidade utiliza ônibus híbridos, metrô  e o  S-Bahn, espécie de trem elétrico que tem como fonte energética a hidroenergia.

Foi a estrutura de transportes somada à meta ambiciosa de redução nas emissões de carbono que motivaram o título. (O condado pretende reduzir 40% de suas emissões até 2020 e 80% até 2050, comparado à quantidade que era emitida em 1990. Atualmente a cidade já alcançou níveis respeitáveis, com redução de 15%.)

Na semana passada tive o prazer de passar  uns dias por lá e percebi que, definitivamente, temos muito a aprender . A grande novidade no sistema de transporte do condado são os terminais para locação de bicicletas distribuídas por toda a cidade. Eu testei e amei! Próximo às principais estações de metrô, é possível encontrar terminais como o da foto. Basta inserir o cartão de crédito e, se for a primeira locação,  fazer um registro rápido, depois deve-se informar  o número da(s) bicicleta(s) pretendida, que a trava é liberada. Eu, que tive um pouco de dificuldade de entender como tirava a tranca da bike , “perdi” 5 minutos no processo de locação antes de sair pedalando em volta do Alster. O preço? Os primeiros 30 minutos do dia são grátis e depois paga-se 4 centavos o minuto, ou seja, 2, 40 Euros a hora! À partir da segunda locação é possivel fazer a transação por celular, caso não possua um cartão de crédito em mãos.  A devolução pode ser feita em qualquer terminal, mas atenção, é preciso recolocar a trava e certificar-se de que fez direito ou você pode acabar pagando algumas horinhas a mais, como eu fiz!

A topografia de Hamburgo, quase toda plana, já ajuda mas é  o incentivo do governo, que mantêm  ciclofaixas impecáveis por todos os lados e desenvolve um sistema de locação de bikes eficiente como o StadtRad  que  estimula a população e turistas a pedalarem, contribuindo significativamente na redução de emissão de CO2 e na melhoria da qualidade de vida da população.

 

 

Para detravar a abike, é preciso levantar a tampa dessa caixinha acoplada à roda

Reciclando Idéias

23 maio

Sábado fui conhecer o  Quintal dos Orgânicos , em Pinheiros.  Além de boa comida e bom atendimento, gostei da coerência do estabelecimento. Deixe-me explicar; é que depois do almoço aproveitei para fazer a feira da semana, e sabe qual foi a minha surpresa? Não precisei usar sequer um saquinho plástico e foi muito prático. 
Com o aumento do consumo de alimentos orgânicos, as grandes redes de supermercados passaram a oferecer esse tipo de produto, o que é ótimo,  embalados em bandejinhas de isopor e muito plástico, o que é péssimo! Além do lixo gerado no descarte da embalagem, existe outro problema que boa parte dos clientes não sabem:  legumes são dispensados por não caberem nos 20 cm das bandejinhas. Produtos orgânicos são mais saudáveis e bons para o planeta, pois seu modo de produção respeita o solo e o não uso de produtos sintéticos protege lençóis freáticos e a saúde dos trabalhadores. A “filosofia” orgânica perde todo o  sentido se na hora da comercialização não há continuidade na proposta de sustentabilidade que ela sugere. O assunto da semana passada foi a sansão da nova lei que proíbe os supermercados de distribuir sacolinhas plásticas, já que estamos “mexendo na ferida”,  porque não aproveitar para repensar também sobre a forma como hortaliças, frutas e verduras são embaladas?

SUSTENTÁVEL S.A.

17 fev

E no meio da minha obra e mudança, um caos total, sem internet (graças  à incompetência da NET), sem pia, sem tanque… tive o prazer de particpar do programa Sustentável S.A., na semana passada!!! Estou atrasadíssima para divulgar, mas caos, é caos, e a maravilha da internet, é que fica tudo guardadinho para acessarmos quando e quantas vezes quisermos!

O Ricardo faz um trabalho muito bacana, divulgando e questionando todos os lados da sustentabilidade. O programa vai ao ar toda quarta-feira às 20hrs, ao vivo, pela All TV. Assista aqui ao compacto da minha participação.

 

Rehab

1 fev

Quando conheci o trabalho de Sarah Cihat fiquei, litaralmente, sem ar! Ela compra pratos de antigos aparelhos de jantar desfalcados em garages sales ou feirinhas de antiguidades e realiza suas intervenções com pintura colorida e moderna, porém mantendo sempre um detalhe original de cada peça.  O termo usado para definir seu trabalho é “Rehabilitaded Dishware, já que a artista extende o ciclo de vida do produto, evitando a produção e consumo de peças novas e o acúmulo de pratos velhos e solitários no fundo de muitos armários. Lindos, né?

Antes

Depois

A Difícil Arte de Ser Sustentável!

18 jan

Finalmente estou conseguindo encerrar um drama na minha vida que se arrasta por quase 2 anos: mudar de casa! Por causa da correria das obras acabei abandonando o blog por uns tempos… mas já já eu retomo com força total!

Por enquanto, voltei para contar que agir de forma sustentável nessa hora é mais complicado do que eu pensava, pois depende de um pouco de sorte também… Primeiro, meu marido e eu buscamos imóveis antigos, pois além de mais amplos, não estimulam novas construções. Infelizmente, não foi possível fechar negócio com os imóveis que nos agradaram devido à forma de pagamento. Depois de muito procurar, optamos por um prédio novo, já que o pagamento  é facilitado e é possível mexer na planta evitando futuro quebra-quebra, certo? Errado! Tivemos um problema com a unidade comprada, pois a planta não correspondia ao apartamento indicado pelo vendedor. Tudo bem, a construtora trocou a unidade por outra, mas até os papéis ficarem prontos, as paredes foram erguidas e o revestimento inteiro instalado!!! Resultado: Perda de tempo, dinheiro e material!

Bom, mas como sou brasileira e não desisto nunca, sigo procurando fazer o que está dentro das minhas possibilidades para que o impacto gerado pelo meu doce lar  seja o menor possível!

Vou contando pouco à pouco quais são as alternativas!